Tehilim, Salmos 121:2

עֶזְרִי מֵעִם יְהוָה עֹשֵׂה שָׁמַיִם וָאָרֶץ׃
"EZERI MEIM ADONAI OSSEH SHAMAIM VA ARETZ."

"O meu socorro vem do Eterno D'us que fez os céus e a terra." (Tehilim, Salmos 121:2)

FONTE HEBRAICA OU GREGA

Esse blog contem referências em Hebraico e Grego. instale as fontes no seu computador acessando o site:

http://www.luz.eti.br/instalarfontes.html

Páginas

terça-feira, 29 de março de 2011

DOUTRINA DOS APÓSTOLOS


Ensino dos (µyjlV) Shalachim

Ouço sempre que devemos seguir a doutrina dos apóstolos e que se alguém lhe ensinar outro evangelho que seja anátema, citações dos textos de Atos 2:42 e Gálatas 1:8. Aí vem a pergunta: O que é a tão falada “doutrina dos apóstolos?”
Comecei a pesquisar sobre isso para que eu mesma pudesse ter um melhor entendimento.

A raiz grega διδασκω didasko”  (ensinar, conversar com outros a fim de instruir-los, pronunciar discursos didáticos, ser um professor, desempenhar o ofício de professor, conduzir-se como um professor, ensinar alguém, dar instrução, instilar doutrina em alguém, explicar ou expor algo, etc. – Dicionário Strong), sugere que “doutrinar” é levar alguém a aprender. Segundo a tradição judaica, teria o significado de “sentar-se aos pés de um mestre, professor ou doutor, a fim de ser ensinado”, conforme podemos ler em Lucas 10:39 “E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Yeshua (Jesus), ouvia a sua palavra”. “assentando-se também”, leva-nos a concluir que haviam outras pessoas sentadas aos seus pés aprendendo o que lhes ensinava.
O próprio Senhor Yeshua doutrinava: “... ouvindo isto, as multidões se maravilhavam da sua doutrina (João Ferreira de Almeida)” “E a multidão de judeus, ouvindo, ficavam maravilhados de sua explicação da Torá (Código Real Galileu). Mateus 22:33. 
Entre as características da Igreja do 1º século, com a comunhão entre os irmãos e o partir o pão, estava também a “doutrina dos apóstolos”, que nada mais era do que a transmissão dos ensinamentos que o próprio Yeshua havia lhes ordenado: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações”...ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado (João F. de Almeida). “Ide com urgência e faze-me tantos talmidim como possais entre todas as nações”. (Código Real Galileu) (Mateus 28:19).

Essa é uma prática judaica desde sempre. E é chamado de Yeshivá (do hebraico ישיבה, "assento" pl. yeshivot) é o nome dado às instituições para estudo da Torá e do Talmud. As yeshivot geralmente abrigam rapazes ou homens. A instituição equivalente para mulheres é a midrashá, embora o termo yeshivá possa ser usado também para uma instituição mista ou de mulheres.
Na época de Yeshua, havia duas escolas, também conhecidas como casas e ainda academias dirigidas por dois mestres da Torá: Shamai e Hilel. Ambos tinham sua Yeshivá, preparavam seus discípulos e dominavam a vida nacional de Israel nos dias anteriores ao nascimento de Yeshua.
Quando nosso Mestre tinha 12 anos de idade e ficou no Templo compartilhando a Torah com os sábios de Israel, possivelmente Shamai e Hilel estiveram entre os doutores que se admiravam de Suas respostas.

Será que, mesmo diante dessas evidências, podemos dizer que doutrina não tem importância, e que não precisamos dela, por um total desconhecimento do que significa? A Palavra responde: “Todo aquele que ultrapassa a doutrina do Messias e nela não permanece não tem D-us; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho (João F. de Almeida)”. “Todo aquele que transgride a Torá e não persevera nos ensinamentos do Messias, não tem a D-us. O que permanece em seu ensinamento tem ao Pai e ao Filho (Código Real Galileu)”. (2João 1:9).

Faço minhas as palavras de C. H. Brown: “A doutrina e o modo de viver são duas coisas que andam juntas. Alguém dirá que não faz nenhuma diferença em que você crê e que o mais importante é o modo de viver. Isto é falso! Você não pode viver certo se não crer certo. Não se pode separar a conduta da doutrina. A única conduta complacente é a que deseja obedecer à Palavra de D-us revelada.”

Em Atos 2  estavam pessoas que se juntavam ao grupo dos talmidim (תלמידים), “estudantes, discípulos”, e eles se congregavam para anunciar que Yeshua era o Messias esperado pelos judeus e estudar a Torá, que conhecemos hoje como Velho Testamento. Aquelas pessoas não se reuniam para fazer o que se vê hoje nesse ajuntamento chamado “igreja”.

Atos 2:41b-42a “...e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, e perseveravam na doutrina dos apóstolos...(João F. de Almeida)” “...E se acrescentaram naquele dia três mil almas e perseveravam no estudo da Torá explicada pelos apóstolos...(Código Real Galileu). Atividades puramente espirituais. Esse é o padrão para a igreja em qualquer tempo. Nunca teria havido uma igreja primitiva a não ser por este ensino específico. Por isso somos obrigados a enfatizar que o ensino deve vir primeiro porque foi ele que conduziu às conversões.
Foi a pregação de Pedro, portanto o ensino ou “doutrina”, que uniu essas pessoas.
O versículo 44 diz que "todos os que creram estavam juntos (João F. de Almeida)". “Todos os judeus que creram que Yeshua era o Messias estavam juntos... (Código Real)”. No que eles creram?  Creram que o Messias já havia vindo, e conforme a Torá e os Profetas, e por todos os sinais feitos, Ele era Yeshua.
O livro de Atos mostra que foi a pregação das “boas novas”, conhecido no grego como “evangelho”, que deu origem à igreja. A doutrina da igreja primitiva veio dos Shalachim – enviados, conhecidos no grego como apóstolos porque eles a receberam diretamente de Yeshua.

Vamos entender um pouco o que seria “boas novas ou evangelho”: Bêsorah (בשרה) - notícias, boas notícias, novidades, recompensa por boas novas, boas novas. Traduziu-se ao grego como ευαγγελιον evaggelion ou evangelho” no sentido de "boas novas" e παραδοσις "paradosis", no sentido de instrução, quer dizer, dádiva que é entregue pela palavra falada ou escrita, tradição pela instrução, narrativa, preceito, etc. Aquilo que é proferido, etc. – Dicionário Strong. No judaísmo, essas "tradições" têm a autoridade de "doutrina" conforme 2Tesalonicenses 2:15 – “Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por carta nossa”.

Portanto, a “doutrina dos apóstolos”, nada mais é do que o ENSINO DA TORÁ ou Lei de D-us!

Saibam que o que conhecemos hoje como “Novo Testamento”, a Aliança Renovada no Messias, não existia. Todos os da primeira congregação foram dedicados a aprender a Palavra para vivê-la. D-us quer que sejamos capazes de defender as razões da nossa esperança nEle. Essa defesa será possível somente se formos discípulos dedicados. Não apenas conhecedores das Leis de D-us, mas, principalmente praticantes.

“Nisto todos conhecerão que sois meus "discípulos" (alunos que aprenderam de mim e praticam o Serviço ao Pai Eterno), se vos amardes uns aos outros”. João 13:35

O Eterno abençoe a todos!

Celeste (fsls)


Fontes:
Bryan Moody, Marco A. Sales, Código Real Galileu com comentário do Rabino Dan Ben Avraham, Dicionário Strong e Weekpedia.



2 comentários:

Ticva (Talmid) Silva disse...

Acabei de ler o seu artigo e achei maravilhoso, simples mas muito esclarecedor.
Acredito que é isso mesmo, em vez de apenas repetir que devemos seguir as doutrinas dos apóstolos, precisamos descobrir quais são e pô-las em prática.

Continue... acho que este post merece uma continuação mais aprofundada!

Laíspianist disse...

Artigo excelente!

Será que teremos a 2ª parte do artigo? rsrs!

Bjos!